Viagens

Viagens e velejos


Conte para nós como foi seu último velejo.

Isto será útil para que possamos conhecer novos lugares para a prática de windsurf. E também evitar levar só uma vela 5.0 num lugar onde a média de ventos é de 12 nós. :-)

Se precisar ter uma idéia mais correta da velocidade do vento na ocasião, dê uma olhada em beaufort.
Se quiser entrar em contato com o autor do relatório, procure seu endereço aqui.
Se quiser conhecer outros picos, clique aqui.

Autor: Roberto
Data: janeiro de 2007
Local: Peruibe
Direção: s
Velocidade: 20 nos
Vela: ns pyro 3d
Prancha: mistral
Descrição: mar liso com entrada de pré frontal o proprio morro existente no canto da praia retem a ondulacão tornando o velejo mais veloz
Autor: William Dutra
Data: 5/01/2007
Local: Avaré
Direção: sw
Velocidade: acima de 20 nós
Vela: iq 6.6 e neilpryde 5.8
Prancha: Styrotech
Descrição: Eu fiquei 3 semanas no rancho que tenho na beira da represa de Avare e simplesmente cansei de tanto planar. Nas 3 semanas ventaram 1,5 semanas, peguei 4 dias de ventos animais. No último dia eu já estava velejando de 5.8 cassada, pois essa é a menor vela que eu tenho. Quando tem previsao boa, acima de 16 nós, é certeza que o vento vai estar animal, com poucas rajadas e uma represa interminável pra você andar até se matar. Se você pretende ir pra la é melhor levar uma vela pequena, por que lá voa vaca mesmo, já cansei de chegar lá no meu rancho e ter que arrumar o telhado porque o vento destelhou as pontas dele. Eu recomendo muito aquele lugar, o vento é muito bom. Bons ventos
Autor: herbert
Data: 14/09/2005
Local: são miguel do gostoso -rn
Direção: sudoeste
Velocidade: 18 a 26nós
Vela: north sais 6.0
Prancha: mistral 104l
Descrição: o lugar é demais, praia deserta, zero de farofeiro, pouco esplorada pelo turismo. O vento entra depois das 11h e vai até as 17h. Aí galera do wind e do kite, este point é a nova jeri do nordeste.
Autor: Evanez kalapothakis
Data: 05/03/2005
Local: lagoa dos ingleses belo horizonte
Direção: nw
Velocidade: 17
Vela: 7.0
Prancha: mistral
Descrição: domingo 9:00 da manha, vento fraco força 5 no maximo, velejadores parados olhando com esperança a indicação de vento naquele dia pelo site vento agora.... entrou.........11:30 . velejadas e planadas perfeitas, os homens com vela 10.0 pra mais .. dia perfeito, vento, sol, agua cristalina e sem poluição. um local perto de belo horizonte 35km, e o unico p/ ser mais exata....bons ventos.
Autor: Guilherme e Luciene
Data: 11/06/04 a 20/06/04
Local: El Yaque, Isla Margarita
Direção: Leste
Velocidade: +- 25 Kn
Vela: 4.2 a 7.4
Prancha: F2 75 a 145 litros
Descrição: Local muito interessante, com velejo slalon side shore, apesar de irmos numa época de menos ventos. Venta todo dia e dia todo só que é muito variavel nesta época, de 15 a 30 Kn. Menos cheio e menos trampo do Jeri com o mesmo preço Coche, uma ilha próxima com vento Off shore (Terral) liso liso, muita velocidade Um abraço Gui e Lu
Linha amarela: o percurso entre Ilhabela e Caraguá
Autor: Marcelo Mig (BRA719)
Data: 29/11/2003
Local: Ilhabela
Direção: Sudeste
Velocidade: 20 nós
Vela: Neilpryde V8 6.5
Prancha: Swell Expression
Descrição: Cheguei na Ilha com vento soprando de frente na balsa, o que é sinal de um Sudeste bombando e passando sobre o morro. Na base BL3 Armação não dava outra: na praia estava tudo parado, mas olhando para as Canas, dava para ver os carneirinhos e a faixa escura. É um vento que pouca gente aproveita, primeiro porque não é facilmente percebido na terra, e segundo porque é difícil de chegar velejando. Mas é um senhor velejo: nesse dia tinha uns 20 nós de vento, céu nublado e mar ondulado.

Montei minha V8 6.5 e fui de Swell Expression. Slalom nervoso, fazia tempo que eu só velejava de Formula, e o equipo estava meio desregulado. Fiquei velejando com o Paulão (de 6.6), uma das únicas outras pranchas na água. A cada perna eu dava uma reguladinha na esteira, na posição do kit... Daí o Paulão deu um jibe em direção à Ilha e eu resolvi seguir mais adiante, para testar melhor a última regulagem. Andei uns 300m e POW!! Sem nenhum aviso, estourou o mastro, detonando ainda a manga e um painel da vela.

"Tudo bem, faço sinal para o Paulão na próxima perna". Só que ele não me viu. Na outra, também não...
"Tudo bem, desmonto a bagaça e vou remando." Só que no tempo que demorei para desmontar retranca, amarrar tudo na prancha, percebi que eu já havia derivado muuuito. O Paulão estava lá longe! E a vela ainda estava enroscada no que sobrou do mastro. Fiquei uns minutinhos ainda tentando soltar a vela do mastro, até que um anjo da guarda (ou seria um diabinho?) soprou no meu ouvido: "Você vai se ferrar para tentar salvar uma vela que já estava velha e agora está toda detonada!". É... bye, bye velinha!

Eu sabia que ninguém além do Paulão iria dar pela minha falta até bem mais tarde, porque tradicionalmente eu sou um dos primeiros a entrar na água e um dos últimos a sair. Soube depois que o Paulão pensou que eu tinha voltado à base para trocar de vela.

Já estava mais longe ainda (uns 500m da Ponta das Canas) quando comecei a remar para voltar ao farol. Você já ouviu falar na expressão "nadar contra a corrente"? É meu amigo, é f...!!! Estava difícil até de manter a direção que eu queria, a ondulação (que nem era tanta assim, mas me pegava de lado) virava a pranchinha (saudades da minha confortável Formula...)
Depois de meia hora em que eu só briguei com a corrente e estava indo pra trás, tomei a decisão: "onde a correnteza quer que eu vá irei.." Vi a prancha ir tomando rumo de ... Caraguá!

Putz, eu estava a 500m das Canas, e a 12km de Caraguá, mas... vamos nessa!

Sentei sobre a retranca, que estava amarrada na prancha, e coloquei os pés na água, para ajudar a correnteza me levar, e minhas costas servirem de vela. Procurei ficar sem fazer movimentos desnecessários, para poupar energia se eu fosse precisar dela mais para a frente. Quando o mastro estourou deviam ser umas 14:30h, e eu tinha uma bela jornada pela frente. Fiquei "curtindo o visual", pensando no sentido da vida, e pensando em por quê só EU estava na água nesta bela sexta-feira de vento! Não passava uma única lanchinha, barco de pescador, nada! Fiquei monitorando o Farol das Canas, cada vez menor. Mas os prédios de Caraguá continuavam tão pequenos quanto antes!

Às 16:30 comecei a ficar com frio. Na verdade esse era meu único medo, pois eu sabia que em algum lugar eu iria chegar. Para me aquecer, e ajudar a chegar mais rápido, comecei a remar. Peguei ritmo e fiquei remando ininterruptamente até as 18:30, quando já dava para projetar que chegaria em Caraguá por volta das 20:00. "Se o Amyr Klink vem da Africa remando, por que eu não posso ir até Caraguá? "Daí vi um bote de um pescador. Remei mais uns 15 minutos, fazendo sinal, até que ele me viu e me resgatou.

Quando subi no barco, parando de movimentar, bateu aquele frio! Esse é que é o grande problema: a hipotermia!
Me enrolei numa lona que cobria uns caixotes de peixe, e que naquele momento me pareceu um belo casaco da Musto. O Alexandre, pescador que me resgatou, foi super eficiente e gentil. Levou-me até o posto de gasolina de sua família, no centro de Caraguá, de onde telefonei para a BL3 e soube que o circo estava armado: os botes na água, bombeiros avisados, etc. Enquanto esperava o meu resgate terrestre, peguei emprestada uma malha de lã e comemos uma pizza para comemorar o resgate. Virei atração turística entre os vizinhos!

O Felipe veio me buscar, mas só depois de ajudar na operação de recolher os botes que estavam na Ilha me procurando. Com isso, meu passeio acabou somente às 00:50 do dia seguinte, quando finalmente cheguei em casa para um bom banho e uma cama mais larga que a Swell Expression...

Quero agradecer aqui ao Alexandre, grande pessoa que o destino me fez conhecer dessa maneira diferente, e a todo o pessoal da base BL3 Armação, que deu o maior gás para tentar me encontrar: André, Aldeir, Bimbo, Luis, Felipe, Pedro...e outros de quem talvez nem tenha ficado sabendo.

Sempre ficam algumas lições, e é por isso que coloco este relato no site:
1- É fundamental manter sempre a calma.
2- Não adianta brigar com o mar.

Por isso que, se eu nunca vou me esquecer desse dia 21 de novembro, as lembranças que me embalaram na semana seguinte foram de maravilhosos velejos nos dois dias posteriores: slalom com vela 5.5 no sábado e Formula com vela 11.0 no domingo!

Bons ventos!

Mig
BRA719
Autor: Fábio Dias
Data: 25/11/2003
Local: São Paulo
Direção: norte
Velocidade: 5 knts
Vela: 5.0
Prancha: Naish
Descrição: Tentei ir velejar na repressa com 5 knots de vento e vela 5.0 e prancha 76Litros. Fiquei muito adrenalizado com o vento, da janela do meu carro em movimento, porque do lado de fora só tinha 5knots. O deus dos ventos não faz mais vento como antigamente ! Será que a solução seria um JET, para fazer TOW-IN ?
Autor: Decio Carvalho
Data: 13/07/2003
Local: Brutal Beach e Almanarre, Hyeres, France
Direção: NO
Velocidade: 25-40
Vela: 6.2-3.8
Prancha: RRD twintip260, RRD wave 255
Descrição: Galera, agora to morando na Italia, alguns de vcs com certeza se lembram de mim, bom tem pouco pra fala, 2m de onda e uns loops front e back muito louco se vcs estiverem interessados em vir velejar na Italia/França, podem me contatar no e-mail: waverip@hotmail.com, o Pedro Rodrigues me conhece, se vc verem ele fala pra ele me contatar que faz um tempao q to tentando fala com ele, Valeu. Aloha!
Autor: Luciene e Guilherme
Data: 01/03/2003 a 19/03/2003
Local: DAHAB, EGITO
Direção: N. NE
Velocidade: 4 A 6 BEUFORT
Vela: 3.7 A 6.5
Prancha: MISTRAL DE 90 A 125L
Descrição: Foi uma viagem sensacional, com direito a pirâmides, ruinas e no rio Nilo, onde encontramos um velejador da classe mistral. O velejo no Mar Vermelho, Península do Sinai é maravilhoso. Água clara, temperatura agradável (Inverno 25 graus durante o dia, e a água na mesma temperatura), vento constante com picos entre 11:00 e 1400, as vezes chegando a 7 na escala beufort. Gui e Lu
Autor: Mig
Data: 9, 10 e 11 de novembro de 2002
Local: Ilhabela
Direção: Leste e Sul
Velocidade: de 15 a 25 nós
Vela: 6.5 e 5.5
Prancha: Swell Expression e Saxo
Descrição: Fazia um ano que eu pensava em comprar uma vela menor para os dias de vento mais forte, pois a minha Gaastra 5.6 já estava toda remendada. Sempre adiava a decisão, pois, afinal de contas, estou treinando Formula, são poucos os dias em que realmente preciso de uma velinha... Bom, comprei uma 5.5 V8 linda e levei neste final de semana para a Ilha, pensando em quando iria usá-la. Sexta velejei à tarde com o Marcelo Dias: vela 7.0 para ele e 6.5 para mim, leste muito gostoso. Sábado velejei o dia inteiro: de 6.5 de manhã, e com o leste aumentando, estreei a 5.5 com minha Swell Expression à tarde, com direito a assustadoras "pressões" do Luca. E domingo, quando quase todos haviam desistido pela aparente falta de vento, mas mesmo assim felizes pelo pelo lindo dia anterior, entrou uma frente fria que até parou a balsa, e lá foi a 5.5 de novo para a água, desta vez bem mais caçada e com uma Saxo: show total!!! Duas horas de puro prazer até acabar a luz! Nem montei o equipo de Formula...
Autor: Manoel Fonseca
Data: inverno...
Local: Avaré (SP)
Direção: Noroeste
Velocidade: over
Vela: 4
Descrição: Velejei varias vezes em Avaré no inverno. Se não há frente fria passando, lá rola um vento térmico, só que é de noite, dá até raiva! De dia fica uma brisa, à noite ronca de assobiar as janelas. Na época o que fazíamos? Acordávamos às 5:00h, alguns vinham da balada e iam direto, montávamos o material com a luz dos faróis dos carros, e assim que começava a clarear já íamos pra água, esse vento ficava até umas 9:00h. Com frente fria se aproximando a coisa muda muito, o noroeste lá tem fama de destelhar casas, e duas vezes estávamos lá com esse vento, uma delas ninguém conseguiu velejar, mesmo alguns tendo vela 4 metros. A represa, que fica a +- 20 km da cidade, é muiiiito grande e as montanhas são baixas o que faz com que o vento seja muito pouco rajado. A água é limpa, tem muito peixe, inclusive piranha, (na guarapira tbm tem ) nada assustador, mas eu não entraria na água com algum corte. Nós velejávamos sempre perto da ponte, do quadrante norte saiamos do hotel Grande Lago, onde a maioria se hospedava. Do quadrante sul, íamos para um pasto do lado oposto da rodovia, passando o camping, nada mais lindo que velejar e ver as vaquinhas pastando, hahaha.
Autor: Maurício Zockun
Data: 26/12/2001 até 02/01/2002
Local: Espírito Santo
Direção: Boa Pergunta
Velocidade: entre 15 e 35 nós
Vela: 7.0 a 5.5
Prancha: RRD
Descrição: Resumo das informações pessoais e prestadas pelo Ariel:
ÉPOCA DE VELEJO - VERÃO
PICOS:
(i)Camburi - É legal. Velejo Slalom logo em frente a uma escola de wind. Sem muita emoção (fechar o gap, dar o Gibe e retornar). O velejo é legal mas flat (como na Ilha). Além disso o velejo neste local lembra um pouco de Manguinhos em Búzios (alguns dias com mar flat, a raia de velejo é gigante e você faz uma perna de mais de 10 minutos).
A galera costuma velejar, eh praia onde passa a Av. Beira Mar... de um lado tem o porto, do outro tem um rio que eh bem sujo e desemboca no mar... mas nao chega nem aos pés da Represa, lá eh o Caribe perto da Guarapiranga
(ii) Setiba, Stibinha e Setibão (Município de Guarapari) - Velejo de wave animal. A Praia de Setibão é grande que dói de ver (uns 6 km) com muita onda vento bom para wave (25 a 30 nós). O lugar deve ser conhecido mas quando estive lá (dias 01 e 02) apareceram apenas alguns surfistas. Ao lado dela enxontra-se a praia de Setibinha (com o mesmo vento). É flat no começo e chop no meio. Muito bom para treinar uns saltos.
(iii) Parati - É 'secret spot' da galera de lá. Localiza-se a pouco mais de 40 minutos de carro da cidade de Vitória (Sul de Vitória). Recomenda-se que um local acompanhe eis que: a uns 500 metros da praia tem 2 bancadas de pedras (sendo uma extremamente rasa e perigosa dependendo da maré, mas forma umas ondinhas legais; a outra é um pouco mais funda, encontra-se, pelo menos, a meio metro de profundidade e também forma umas paredes legais pra saltar). Não é muito bom pra surfar a onda (ao menos no dia em que o Ariel esteve por lá). A velocidade do vento costuma ser entre 7 e 15 nós mais forte que Camburi. "Peguei 30-35 knots lá.. e ainda me disseram que tava fraco, ainda dava pra velejar de 5.5!! outro dia falaram que nao tinha como entrar na agua!!!!!!!!!" Há pedra e coral na parte mais rasa, tem que entrar e sair pelo lugar certo
(iv) Jacaraipe - É mais conhecida que a praia de Parati e também ais perto. O vento Nordeste sopra limpo, so que mais fraco do que Camburi... la tem onda de verdade, quando eu fui ventava uns 20 knots em Camburi e uns 10-12 lá! nao tava Nordeste que eh o que pega bem la
(v) Ulé - Muita onda quando venta na direção Norte.
Autor: Carlos Oliveira
Data: 01/nov/01
Local: Paradise Island - Nassau / Bahamas
Direção: Oeste - Sudoeste
Velocidade: 17 nos , 20 na rajada
Vela: 5.8
Prancha: 125 lit. - 283 vol
Descrição: Aqui em Bahamas o inverno comecou oficialmente hoje, mas ja' faz 5 dias que esta' soprando sem parar. Motivo: uma tempestade tropical, (que se continuar ganhando forca, pode se tornar um furacao dentro de alguns dias), está passando por Cuba, que fica logo abaixo. Junto com esse reflexo da tempestade, formam-se também boas ondas. Como o vento ta vindo de oeste , ou seja, do canto direito da praia, a minha raia era exatamente perpendicular as ondas, perfeito para saltar na ida, e lindo para surfar na volta. Pode se dizer que hoje foi um dia clássico . Toda a temporada de inverno (que acaba em abril) vai ter dias assim, mas e' uma pena porque na semana que vem estou voltando para a terrinha, depois de 1 ano morando e trabalhando aqui nas Bahamas, responsável de uma escola de vela que fica dentro de um hotel, que e' onde eu moro. Gostaria de saber se seria possivel a galera da BL3 me mandar por e-mail algumas informacoes sobre precos, estadia, local para guardar o equipamento, seria o bicho poder passar uma parte das ferias no brasa, velejando. Valeu! E quem sabe agenta nao se tromba ai' no brasa.
Autor: Marcelo Mig
Data: 5 a 7 /10/2001
Local: Ilhabela
Direção: Sul e Nordeste
Velocidade: 10 - 30 nós
Vela: 9.8 a 4.7
Prancha: de 160 a 85 litros
Descrição: Nesta sexta saí da BL3 Armação para encontrar o Cid em São Sebastião. Prancha course, vela 9.8, ventinho de 10 nós, mas no meio do canal o vento sul acabou . Sabe quando entra leste de um lado e sul de outro, e a resultante é zero?
Como a corrente estava de sul, pensei em deixá-la me levar até perto das Canas, onde entraria num ventinho e eu poderia chegar mais perto da costa. Enquanto esperava, deitei a vela na água e fiquei fazendo ajustes finos: arrumei o comprimento dos cabos da regulagem da retranca, subi a retranca um pouco, tirei um pouco de downhaul. Tranqüilo como se estivesse no gramado da BL3. Fiquei fazendo isso uns dez minutos até que...
Dei uma olhadinha para trás e o que vejo? Um navio cargueiro japonês enorme vindo DIRETO NA MINHA DIREÇÃO!!! Cara, estava muito perto, e pior ainda, ele NÃO BUZINOU, ou seja, não havia me visto!
O vento era zero. Pulei na água e nadei puxando o equipo pela vela durante uns dois tenebrosos minutos, sempre conferindo para ver se dava para salvar tudo ou abandonar o equipo e salvar a pele. Quando ele chegou bem pertinho, eu estava um pouquinho a boreste dele, e as ondas que ele faz quando a proa corta a água me empurraram um pouco para fora de sua rota. Continuei nadando para escapar da sucção das hélices, e bem... estou aqui contando a história, então deu tudo certo, né?
O Marcelo Dias viu tudo da sede da BL3 e avisou o Aldeir, que foi me resgatar de bote.
Moral da história: não dá para vacilar na água!!!
Em compensação, no domingo foi o bicho! Entrei às 11:00 de 9.8 só para constatar que era o caso de slalom. Montei a 6.5, e fiquei até as 15:30, quando não dava mais. O Marcelo Dias estava de 6.0, voltou para montar a 4.7 e ainda teve que abrir a vela em muitas ocasiões. Foi animal!
Autor: Fábio Dias
Data: Maio / 2001
Local: Canal de Ilha Bela
Direção: SUDOESTE
Velocidade: 30 - 35 knots
Vela: 5.0 Core (Nielpryde)
Prancha: Naish 8,4" - 76 litros
Descrição: Nunca tinha velejado em SP, olhei o CPTEC e vi "CICLONE NO LITORAL" para o dia seguinte, desci rapidamente para o litoral e quando cheguei em São Sebastião vários OUTDOORS estavam caidos, balsa fechada...
Entrei numa praia chamada CIGARRAS,o "CHOP" estava grande (no meio do canal) e o vento estava a 30 knots constante e rajadas de 35 knots "BLACK TRUNK", minha vela já estava ficando OVER , porem resolvi ficar e saltar nos CHOPS. Quase OVER e saltando em Chop fica facil para dar BACKLOOP, acertei uns dois e errei vários, me machucando numa tentativa. Em alguns saltos achei que a NAISH fosse partir ao meio, mesmo caindo com a rabeta.
NUNCA tinha dado um salto tão alto num CHOP. Canal de Ilha bela é perfeito no sudoeste, pois enquanto nas praias a ressaca dominava com ondas de 2-3 metros, o canal formava o "chop" perfeito para saltos.
Um abraço a todos e bons ventos !
Autor: Guigo
Data: Fev/2001
Local: Represa de Ibiuna
Direção: Desconhecida
Velocidade: Fraco
Vela: 6.4
Prancha: Bic Veloce 298
Descrição: A represa de Ibiuna é uma outra boa opção para os novatos que procuram diversao sem muita complicação e risco perto de Sao Paulo (aprox 1,15hs de carro). Em geral vou no Condominio Veleiros que tem otimo acesso das casas na represa. Não espere ventao para treinar water start, mas em geral tem boas horas de velejo com vento moderado principalemnte nas áreas mais abertas da represa. Fica aí mais uma dica! Avise se quiser montar um grupo de novatos para velejar por ai...... guipm@uol.com.br
Autor: Luís Claudio (Brasilia)
Data: Semana do reveillon
Local: Arraia d'Ajuda Bahia
Direção: NE
Velocidade: 15-20 kt
Vela: Boa e velha Total Flow 5.8
Prancha: Score 104
Descrição: Arraia d'ajuda no verão é o bicho, nem tanto pelo velejo, mas pelo astral do lugar. fui de carro e só levei uma prancha e uma vela. Na semana que passei lá, velejei 5 dias. O pico era numa pousada chamada Canto da Alvorada, que era muito legal, pois além da infraestrutura nota 10, com direito a lugar para deixar o material montado, não tinha crowd de banhista, além de poder sair a qualquer hora, independente da maré ( e olha q não estava hospedado lá). O pico era legal pois formavam duas arrebentações com ondas suficientes para uns pulinhos , mas raramente para descer. A galera de la´afirma que de agosto a outubro o bicho pega, e as velas deles confirmam: ( a maior que vi foi 6.0). Abraço a todos e BV.
Autor: Ariel de Silvio
Data: de 3 a 14 de janeiro de 2001
Local: Ilhabela
Direção:
Velocidade: 10 - 25 nós
Vela: 5.5
Prancha: 282
Descrição: Vixi, acho que eu nunca velejei tanto na minha vida!! Ficamos lá 11 dias, só ventaram bem 8 dias!! um dos 3 que nao ventou eu consegui planar bombando que nem um retardado de 5.5 (acho que tinha uns equipos de course boiando!!)... foi a viagem mais louca que a gente fez!! Fomos de busão, com um equipo pra cada um, ainda conseguimos uma carona já na balsa até a Armação!! Montamo as barracas la na BL3 e o vento já entrou, velejo de quase uma hora, irado, teve hora que eu tava no limite do controle, sempre de 5.5 (foi a unica que eu levei!!)... depois todo dia era balada na vila até umas 3-5 da manha, acordava 10:30 (o sol nao deixava eu dormir na barraca!!), e era so esperar, 15:30 entrava o vento de leste, sempre bombando... teve dia que entrou com 25 knots pra mais, ai ia diminuindo, e lá pelas 18:00 acabava o velejo... depois rolava um almo-janta, 2 miojos pra cada um, e vila de novo..... so no primeiro sabado nao ventou bem (entrou um peidinho no fim da tarde, consegui planar!!) e depois sexta e sabado da outra semana.. o resto era sempre igual...... velejei muito nesses 11 dias, foi ANIMAL mesmo...
Aí na volta o pedrão deu mais uma ajuda e trouxe nosso equipo pra sampa, e a gente veio com o pai do victor... vieram 4 no banco de trás!! foi uma viagem dolorida, hehehe...
Participaram dessa windtrip, eu, o João, o Ygon, o Chris e o Victor.................................
Valeu Pedrão pelo apoio la na ilha...
Autor: Guigo
Data: 21/12/2000
Local: Nazare Paulista - Sao Paulo
Direção: Nao faço a minima ideia
Velocidade: fraco
Vela: 6.4
Prancha: BIC 298 Veloce
Descrição: Moçada, acho que Nazare pode passar a ser um pico legal para a moçada que esta começando. Sou Novataço e tenho procurado locais proximos a SP e Campinas para velejar nos finais de semana e achei Nazare uma boa opçao. No final do ano Nov e Dez o ventinho é fraco e da para treinar um pouco de equilibrio e as manobras basicas. No final da tarde vem um vento um pouco mais forte. No local Riviera de Nazare (011 9955-9013 falar com Luis) se paga R$ 7 de consumação e pode passar o dia todo. O chato sao os caras de Jet que atrapalham um pouco mas sao otimos na hora de dar uma rebocada para a margem. A agua parece ser bem limpa. Seria bom se o local passasse a ser pico de Wind pois fica a menos de 1 hora de SP e tem um lago legal. Se alguem quiser combinar umas baladas mande um email guipm@uol.com.br.
Autor: Vinicius Vini
Data: 2/11/00
Local: São Pedro d'Aldeia
Direção: Nordeste
Velocidade: 15
Vela: Neilpride 5.7
Prancha: Seatrend 275
Descrição: O coração tá com saudade do velejo, vento constante e increspando a lagoa. Vai ai uma dica: Um otimo local para quem já conhece Araruama é também conhecer o velejo na Lagoa Azul que devido a uma praia artificial formada por uma salina, e com profundidade de 1,5 m ficou ótimo pois da pra velejar paralelo a praia. Duas maneiras de chegar: Por Sao Pedro da Aldeia e dar um bordo ate lá, ou ir até Arraial do Cabo e entrar na policia rodoviaria à direita e seguir por mais uns 4 km. Galera vale a pena e ainda é pouco conhecido, o lugar é visual...
Autor: Konan Neves Lang
Data: nas ultimas semanas de outubro
Local: Moçambique, Floripa
Direção: sul
Velocidade:
Vela: 4,0
Prancha: quatro 7,10
Descrição: Um velejo muito irado, com muito vento e altas ondinhas para o surf. Foi uns dos melhores velejos da minha vida, mandei varias manobras e errei varias.
Autor: Marcelo Mig
Data: 25, 26 e 27 de agosto de 2000
Local: Ilhabela - Praia da Armação
Direção: Leste, Sul e Nordeste
Velocidade: de 12 a 27 nós
Vela: de 5.0 a 8.8
Prancha: F2 Thommen XL e Bic XLS 288
Descrição: Fim-de-semana de agenda flexível com tudo o que se pode querer: ventos moderados para course na sexta, vento sul forte para velejo over no sábado, nordeste no domingo para vela 6.5 bem nervosa das 11:00 às 14:00 e um pouco mais tranqüilo das 15:00 às 17:00. Vale uma dica: no sábado, muita gente foi para a Praia do Pinto e não conseguiu velejar de tanto vento. Normalmente vento sul é mais forte lá. Eu estava de vela grande para as condições e então voltei para a frente da Armação, onde o vento estava menos animal. Continuou over, e fez a diferença entre ficar na areia ou ter um velejo inesquecível...
Estado em que ficou a prancha Autor: Ruy Exel
Data: 01/04/2000
Local: Lagoa da Conceição - Florianópolis
Direção: Sul
Velocidade: 15 nós
Vela: Gaastra 6.6
Prancha: Fanatic Bee 274
Descrição: No sábado, dia primeiro de abril (acredite se quiser!), fui atropelado por uma lancha a motor na Lagoa da Conceição, em Florianópolis.
O fato é que estava velejando e não vi nada até o momento exato do acidente. Num flash eu vi o casco branco da lancha aparecendo em velocidade do lado oposto à vela e no momento seguinte eu estava em baixo da lancha! Provavelmente o gancho do trapézio não se soltou do kit e a prancha se enganchou em algo sob a lancha de forma que eu fui arrastado sob a água, por vários e angustiantes momentos, enquanto eu esperava pelo instante em que a hélice atingiria alguma parte do meu corpo...
A prancha foi partida ao meio pela hélice do motor exatamente entre as alças, ou seja, entre os dois pontos onde, minutos antes, estavam os meu dois pés! Por incrivel que pareça eu não sofri quase nada. Só um pequeno arranhão na canela direita! Entretanto todo mundo que viu o estado da prancha me diz que eu nasci de novo.
Depois do choque, que teve testemunha, o condutor da lancha prestou socorro me dando uma carona até a praia. Enquanto estavamos na lancha eu perguntei ao fulano se ele não estava me vendo no momento do acidente. Ao que ele respondeu que sim, mas que não desviou porque achava que eu iria desviar. Alguns dias depois, diante do delegado em depoimento na delegacia da Lagoa, ele resolveu dizer que não estava me vendo. Afinal o meu mastro tem apenas cinco metros de altura! Depois de chegar na praia eu marquei um encontro com o condutor da lancha na marina. Ao chegar lá eu exigi que ele pagasse pelos prejuízos, mas o fulano me ofereceu pagar apenas a metade! Segundo ele, pagar tudo corresponderia a admitir que ele fosse o culpado, o que ele não admitia! Decidi então mover um processo na Capitania dos Portos contra o condutor da lancha.

As razões pelas quais estou divulgando estas informações são as seguintes:

  • Para comunicar que o processo que eu estou movendo contra o condutor da lancha envolvida no acidente está entrando em uma fase crucial.
  • Para pedir a todos os velejadores, especialmente aqueles que tem qualquer tipo de ligação com a Marinha brasileira, para que prestem atenção ao resultado deste processo que é importante para o futuro do Windsurf no Brasil.
  • Para alertar a todos os velejadores para os perigos de acidentes envolvendo lanchas a motor.
Saiba mais...
Autor: Marcelo Mig
Data: 19 a 22 de julho de 2000
Local: Ilhabela
Direção: NE e SW
Velocidade: 12 a 20 nós
Vela: Neilpryde V8 6.5 e RX1 8.8
Prancha: Bic Saxo 270 e XLS 288, F2 Thommen XL
Descrição: Ilhabela, nesta linda 27ª Semana de Vela, com 130 veleiros no canal, estava linda! E ventando TODOS OS DIAS! Também estreei prancha course nova. Eu, que sempre fui muito mais chegado num slalom, me rendo aos fatos: velejo course é bem interessante, dá muito mais autonomia e sim, muita adrenalina também! Para finalizar, no domingo amanheceu com garoa e calmaria total. Já estaria me dando por satisfeito pela ótima semana, mas a partir das 13:00 entrou um belo Sul que durou a tarde toda, e me fez ir direto dos 174 litros da XL para os 95 da Saxo, com direito a muitos bumps & jumps!
Autor: Marcelo Mig
Data: 10 a 18 de julho de 2000
Local: Araruama e Búzios
Direção: SW e NE
Velocidade: 10 a 25 nós
Vela: Gaastra M6 5.6, Neilpryde V8 6.5 e 7.5
Prancha: Bic Saxo 270 e XLS 288
Descrição: Como já disseram por aqui, Araruama é o bicho! Peguei um sudoeste com vela 5.6 bem caçada muito gostoso. Conheci figuras interessantes, como o Barão e os irmãos franceses Alan e Jerry. Com este, atravessei a lagoa e conheci "Arubinha", um istmo que segura as ondas e torna a água lisa, com fundo raso. Com o vento forte, excelente para velô e jibes. Em Buzios, Manguinhos é a melhor opção para slalom. Velejei um dia com o famoso Nordeste e vela teimosamente 6.5 (durante metade do dia minha 5.6 seria mais apropriada, tinha gente feliz com 5.0). Mar cada vez mais batido à medida que se aproxima da Ilha Feia, bom para a Saxo. Nesse dia fiquei na água até depois do sol se pôr, com a lua cheia iluminando a raia. Em outros dias, Sudoeste de 6.5. Mar lisinho, o velejo é melhor no lado esquerdo da praia, bem perto da areia. Detalhe: esse vento acaba de repente, como aprendi a duras penas :-). Para quem está acostumado com Ilhabela, o vento Noroeste de Manguinhos parece o Sul da Ilha, e o Sudoeste lembra o Nordeste da Ponta das Canas. As diferenças são que o vento é mais rajado em Manguinhos, um pouco mais forte, mas com muito menos correnteza.
Autor: Luis Claudio
Data: 6/07/2000
Local: Lago Paranoá
Direção: :(
Velocidade: :((
Vela: :(((((
Prancha: :(((((((
Descrição: Cptec errou feio...apareci no clube ao meio dia e nada...so umas rajadinhas muito espetadas. nem entrei. A proposito lago Paranoá fica em brasilia, foi mal... e ontem neguinho pegou no anemometro 30+ kts...o dia inteiro!!! Galera de Fortaleza deve ta rindo. Abraço a todos e BV
Autor: Luis Claudio
Data: 5/07/2000
Local: Lago Paranoá
Direção: E
Velocidade: pra lá de 20 notas !!!
Vela: Warp 8.0 ; Total flow 5.8
Prancha: Roberts AVS 25; SLE 278
Descrição: Foi uma manhã dificil no escritorio, olhando pela janela a cada 5 min...tava bombando desde cedo...acertei tudo rapidinho e me mandei pro clube...140 na pista do setor de clubes e tentando vestir o neoprene ainda molhado do dia anterior... ja tinha uma galera na água !!! PqP!!! Ninguem trabalha hoje !!! É dia de vento!!!
Tô finalmente inaugurando minha vela nova, ontem já foi o bicho!! e hoje tava prometendo. A saida é meio enganodora, pois tem umas interferencias no vento, mas a uns 100 m, aquela estilingada!!! ainda to apanhando das regulagens da vela e over fica ainda mais hard core. Paro para caça-la um pouco mais e o Mingo sai da água de 6.6 dizendo q tinha ficado over !!! Larguei o material na grama e fui montar a 5.8. em cinco min tava na agua com material slalom !! A velinha super na mao e voando por cima das marolas. Velejei umas tres horas e morto voltei pro escritorio. Conferi no CPTEC e amanha tem mais !!
Autor: Alberto Topgian Junior
Data: Carnaval / 2000
Local: Araruama
Direção: NE e S
Velocidade: 25 a 35
Vela: VLTD 5.5 e VX3 6.5
Prancha: Flow 284
Descrição: Araruama é o bicho..... Não tem idéia do que é velejar de 5,5 e não conseguir controlar nada. Ventou durante 4 dias, 24 hs por dia. Pra quem tá acostumado com a 1/2 hora de vento na represa, lá a gente tomava café vendo a galera velejar. Velejava umas 2 hs, saía, tomava um negócio, descansava, entrava de novo, saía, e o vento continuava igual. No fim de tarde o vento aumentava bem, aí ficava foda de entrar. No primeiro dia deu um puta medo pois ,quando você fechava o gap total, a prancha acelerava muito pegando uma velocidade fudida e tinha umas marolas de 1/2 a 1 metro, ou seja, uma embicada na onda seria como uma porrada num muro a 50 por hora. Fora os Jump. Pena não estar com um equipo de Wave pois acho que ia ser de+ .Deu pra fazer um surf básico mas é como estar de long-board, tá ligado. A lagoa é grande. A distância entre as margens é de 1,5 Km eu calculo. Eu engatava o trapézio de um lado e planava até o outro sem parar um minuto e no maior gás. Chegava do outro lado com cãibra no pé de tanto planar. O melhor é que tem vários baixios e, quando eu caía, a água tava na cintura, é mole... O mais tesão foi a despedida. No último dia eu e um amigo fizemos a última bateria por volta de 18:hs Caí de 6,5 e fiquei over. Saí e troquei por uma 5,5. Continuei meio over mas não tinha nada menor. Como era o último dia, fechei o Gap até o talo pois se me estropiasse eu iria embora mesmo e teria como me recuperar depois. O problema é que já tava escuro e não dava mais para enxergar nem as marolas, nem meu amigo e nem da onde eu tinha saído. Tudo isso na maior veloce. Imagina se não foi adrenalina pura.... Depois que eu saí, levei uma 1/2 hora para baixar a adrenal. Definitivamente SHOW DE VELA.... E o melhor é que não foi um sonho..
Autor: Manomano
Data: carnaval
Local: Riviera / Bertioga
Direção: sudeste
Velocidade: 10 a 12 knots
Vela: Soul 6.6
Prancha: AHD King Style
Descrição: Estava eu descansando na Riviera, cheia de crianças, em uma casa de frente para o mar. Na segunda feira de carnaval fui acordado pelo Nandinho me avisando que estava ventando. Estava mesmo. O tempo estava encoberto com garoa fina. As ondas estavam com meio metro. O vento estava de rajada. Mas deu para fazer um velejo nas ondas na Riviera.
Autor: Cristiano Cassemunha
Data: 30.12.99 a 25.1.00
Local: África do Sul
Direção: Todas
Velocidade: 12 a 45 kt
Vela: 4.2 a 6.1
Prancha: 265 conv. hifly
Descrição: Venta muito, durante o ano inteiro na costa da Àfrica do Sul. Mas a melhor época é o verão, pois mesmo neste se usa roupa de borracha. Velejei da Cidade do Cabo até Port Elizabeth. na cidade do Cabo venta mais, praticamente todos os dias (no verão), mas tb, a água é mais fria. O lugar é muito legal, ótima infra-estrutura e não muito caro. Vale a pena...
Autor: Mig
Data: 8 a 13 /01/2000
Local: Ilhabela (Armação e Ponta das Canas)
Direção: Leste
Velocidade: 15 a 22 knots
Vela: Neilpryde V8 6.5 e 7.5
Prancha: Veloce XLS 288
Descrição: Show de bola!!! Depois de um início de ano chuvoso e sem ventos, essa semana proporcionou tardes de velejo completas, com ventos constantes, para relativamente poucos velejadores presentes. O detalhe é que quem estava no Sul da Ilha tinha calmaria em muitos dias, mas na abençoada Ponta das Canas era só prazer!
Autor: Ariel de Silvio
Data: 30 e 31 de Outubro
Local: Gurapira
Direção: SE
Velocidade: 15 a 30 knots
Vela: IQ Plus3 6.5
Prancha: SLE 278 modelo 97
Descrição: Sábado com vento desde cedo, muito vento... mesmo chegando um pouco tarde, ainda deu pra pegar uns quase 30 knots, não era nenhum furacão com 220 knots, mas era muito vento. Com o kit trapézio lá atrás, as alças tb numa posição radical, e velejando over, depois o vento diminuiu um pouco (20 knots), mas ainda era um velejo radical...
Domingo, tb ventando desde cedo uns 12 knots... Depois o vento aumentou, chegando a uns 20 knots... com direito a Mano-Mano e seus Jibes com 360º, Paulão com seus Laydowns (não sei se é assim que se escreve) planando com uma mão só, além de Body Drags e vários jumps...
Eu fiquei só na tentativa de uns body drags, e um jump jibe... o unico problema foi na segunda tentativa de jump jibe, a prancha caiu errado, e deu m****... eu bati o lado do pé no deck da prancha... e... 7 dias de gesso!!! torci o tornozelo!!! heehheheh
Depois desse meu acidente o vento aumentou um pouquinho e ficou mais constante... até que tava divertido ficar sentado no gramado com gelo no pé e assistindo a galera arrepiando na água...
Autor: Marco Fábio
Data: 09 a 12/10
Local: Araruama - RJ
Direção: Nordeste
Velocidade: 18 KT
Vela: 6,3
Prancha: 298 veloce
Descrição: Os mineiraços Pedro, Dário, Renato e logicamente eu arrepiamos em Araruama, os outros mais experientes deram show de bola ( vela ) o tempo todo. Eu por minha vez com meu 1 ano de velejo, e poucas oportunidades, após perceber que deveria modificar as alças da prancha que foi do Mig, e estavam em uma posição muito radical para mim. Cheguei as alças totalmente para frente e após alguns tombos tentando colocar o pé de trás na alça ,inclusive com uma torção feia no joelho, que não conseguiu me tirar da agua, retirei as alças de trás e coloquei apenas uma na posição do meio atrás. Com mais a orientação do Dário que percebeu que estava abaixando demais o corpo quando começava a planar. Amigos velejadores eu deixei de ser um Sapo Perneta, como estavam me chamando, e passei a ser o mais novo Super Homem do Windsurf. A partir daí a lagoa de Araruama ficou pequena demais para mim. VALEU!!!
Autor: Alex Salawee
Data: 21/08 e 22/08/99
Local: Outside do Paracuru
Direção:
Velocidade: 15 a 25 nós
Vela: 5.2 naish
Prancha: F2 255 wave
Descrição: O mar apresenta uma enseada grande, ao lado de uns currais de peixes, onde é bem liso para jibes e free style. Já no outside a estória é outra. Lá é conhecido como um dos melhores points do Surf do Ceará e nessa época, de ventos fortes, o que rola é wind no lugar de lendas do surf cearense. As ondas continuam grandes, boas para saltos e surf para esquerda, tendo cuidado de não ir para cima do curral. Vento forte todo segundo semestre com as condições das ondas melhorando a medida que se aproxima o final do ano. Fácil acesso, fica a 90 kms da capital do Ceará.
Camburizinho animal!
Autor: Paulinho Lima
Data: 14 e 15/08/99
Local: Baraqueçaba
Direção: Sul
Velocidade: 25 knots
Vela: 5,7 rave.
Prancha: 274 fanatic bee quilha 36
Descrição:De fato o Stefano me surpreendeu! Meu velejo foi em Baraqueçaba. Sábado cheguei as 3:00hs da tarde e já haviam muitos dinossauros na área como Tubarão, Felipe, Esio, Morales, Maçã e mais uma meia dúzia. O vento estava numa posição muito maral, forçando uma orça difícil nos fortes espumeiros tanto de inside como (pior) de outsite. Bons pulos nas rajadas de até 25 nós mas não peguei o melhor momento do dia. Este rolou até 2:00hs. da tarde. Destaque para o Maçã com radicais batidas de back-side e aéreos de back. Domingo Show! Foi o Baraqueçaba mais radical que já ví! A posição estava perfeita. 22 a 25 nós com termômetros marcando 11 graus ao meio dia com sensação de 6 graus em função do vento. Inside de 1m pesado com out-side de 1,5m extremamente espumante. Nunca tive uma descarga de adrenalina tão grande ao jibear perto do costão e cair em meio a uma arrebentação sem fim. Pulos muito altos e difíceis de controlar em função do exesso de velocidade por estar com uma 274 fanatic bee quilha 36 e 5,7 rave. Eis que quando surge o homem da pipa. Não quis gorar, mas achei que não ia terminar bem. O cara saiu para o out-side e voltou fazendo um surf bem legal. Valeu cara, tem o meu respeito! Só nós dois caímos no Domingo. A galera estava toda moída de Sábado. Último comentário: Domingo ficou perfeito o dia todo. Após as duas da tarde o mar ficou até mais liso, menos storm porém, muita mais muita onda quebrando. Mar para o equipamento certo - 8'8 wave com uma 5,5 - e muito mais muito preparo físico para segurar as decolagens depois de muita mais muita altura. Pra mim só deu o suficiente para sentir o gostinho do desafio e parei na hora em que pedi para aquele lá de cima me tirar do sufôco num momento complicado no out-side. Deu pra curtir e até fazer um filminho de hand-cam pra não dizerem que é história de pescador, ou melhor de velejador. Um abraço a todos e valeu Stefano. Paulinho Lima A foto mostra poder do swell que na quarta18 ago ainda estava gerando verdadeiros rolos compressores.
Autor: Maurício Zockun
Data: 14 e 15 de agosto
Local: Ilha Bela
Direção: Sul
Velocidade: 25 nós
Vela: Wadel 5.2
Prancha: Seatrand Accelerator 280
Descrição: Na maioria das vezes em que entra um vento sul na Ilha o 'pico' de velejo é, de fato, perto da balsa. Tanto é assim que este final de semana (em razão da frente fria) um pessoal velejou no canal com vela 4.0 até 5.2 (acredito que a minha era a maior) enquanto soube que na Praia do Pinto velejou-se com 6.0~6.5 (tranqüilo).
Na balsa a coisa estava muito boa. Muito vento, mas o mar estava com muitas ondulações. Resultado: parecia que se estava velejando em um touro mecânico. Não faltaram oportunidades para aqueles que gostam de saltar e tentar manobras em situações pouco convencionais.
Enfim show de vento!
Autor: Betosan e Silvestrinho
Data: De 29 a 04/08/99
Local: Cabaret
Direção: De lado....de frente...cima pra baixo...
Velocidade: De 13 a 30 knots
Vela: De 5.5 a 7.0
Prancha: Techno/Saxo
Descrição: Foi uma linda semana na Republica Domincana. O lugar parece uma favela, com habitantes muito chatos, mas Cabaret é uma boa praia para se velejar. O vento começa a rolar com hora marcada após as 13:00. Rola velejo de onda principalmente no inverno (dez/fev). Rola tb velejo de slalon e bump jump. Muitas velas na água, muitos alemaes, suiços e franceses. As alemãs não deixam nada a dever no velejo e nem no shape...hehehe. São muito saradas e rola um topless na praia. O dia de 5.5 estava animal com muita gente dando looping. É isso aí...mais detalhes entrem em contato que temos que ir. MOTO TAXI !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Autor: Cristian Spengler
Data: 28/12/98 a 10/01/99
Local: Jericoacoara
Direção:
Velocidade: 20 a 40 nos
Vela: 6.0
Prancha: PRO TECH 273 CONV
Descrição: Mar bem batido com ondas pequenas!!!
Autor: Dário
Data: fev 99
Local: Lagoa dos Ingleses BH - MG
Direção: NW
Velocidade: 0-20 0- knots
Vela: 7.5
Prancha: GEM 125 lit
Descrição: Ninguém mais do que nós mineiros para babar com as histórias dos colegas velejadores, mesmo das pequenas "merrecas". O normal aqui é pentear o cabelo na lagoa ou ficar lixando parafuso, polindo a prancha e comentando por uma das três viagens anuais até o mar. É lá que sentimos a presença de Deus dentro no abdomem. Quem conhece Minas sabe que é cheia de montanhas. Elas não deixam o vento rolar pela superfície das lagoas. Quando pinta um temporal velejamos na testa dos CBs (cumulus nimbus) de olho nos raios e medindo o tempo para saber a distância. Mas mesmo assim o Renato e o Pedrinho tomaram choque de um raio perto demais e voltaram nadando arregalados. Para se ter idéia, colado na nossa praia tem a Serra da Moeda com rampa de vôo livre. Um dia eu estava lá com os amigos quando a galera fugiu da rampa por causa de um CB. Então, desci a montanha e em 5 min cheguei na lagoa -aquele espelho-fui montando o equipamento voando para espanto da galera. Fui boiando para o meio da lagoa onde tive alguns momentos de pancadaria e raios. Desviando de capivaras também (isso vocês não têm). Depois voltei remando e sob chuva, e é claro, feliz.
Autor: Paulo Eduardo Salvatore BRA1111
Data: 23/06/99
Local: Praia do Pinto/Ilhabela
Direção: Sul
Velocidade: 10 a14 Nós
Vela: Aerotec 7.5
Prancha: Copelo 280
Descrição: No dia 19/06 teve a Copa Race Ilhabela. Eu a principio imaginei que nem iria correr, porque todo o equipamento foi emprestado de alguns amigos meus. Fui para água quando já ia sendo levantada a bandeira de 4min. Tive tempo somente de largar, e o equipo não chegava nem perto dos melhores velejadores que estavam correndo. Tive que bombar muinnnnto para chegar perto de ganhar alguma coisa. A quilha de minha prancha era de 34cm, enquanto que havia velejadores usando umas de 48cm. Neste campeonato fiquei em 2º lugar na B depois de muito treino e dedicação ao esporte, pois moro aqui em Ilhabela. Queria dar os parabéns ao Guilherme (Guiga) pela regata e organização e ao Pedro da BL3 pelo seu trabalho e dedicação aos velejadores.
Um abraço e bons ventos.
Autor: Michael Jackson
Data: 19/06/99
Local: entre Armacao e Praia do Pinto (Ilhabela)
Direção: sul
Velocidade: 13 nos
Vela: 7.8 ART
Prancha: 307 FANATIC
Descrição: Rolou umas 3 horas de vento planavel com meu tamanho de vela 7.8 e board 307. Mar bem mexido, com umas ondas bem cavadinhas pra dar uns jump irados. No meio da regatinha (copa camarao) nao dava para aguentar e nao pular. Hoje em dia quem nao tem vela maior fica so pagando pau para os que tem (cocando).E assim: quem pesa 83kg devera comprar uma vela 8.3 and so one.
Autor: Fafu
Data: 18/06/1999
Local: Sao Paulo
Direção:
Velocidade:
Vela:
Prancha:
Descrição: Tive o grande prazer de ter feito uma viagem de moto pelas praias, areia mesmo, desde Salvador a Fortaleza, É impressionante o que venta, se tivesse levado uma prancha com 120 l e uma vela 7.0 teria planado todos os dias sem exceção,. No Rio Grande do Norte o vento fica mais forte, mas o litoral de Alagoas e Pernambuco é maravilhoso.
Autor: Mig
Data: 06/06/1999
Local: Praia da Armação - Ilhabela
Direção: Sudoeste
Velocidade: 12 nós
Vela: V8 7.5
Prancha: Veloce XLS 288
Descrição: Feriadão prolongado de calmaria total, domingo garoando o dia todo. Quatro dias de frustração! Até que, ao descer à sede todo agasalhado para desmontar o equipamento e voltar para São Paulo, encontro o Ian dizendo que o Fred estava na água planando. Eram 16:30, a garoa tinha acabado. Decisão rápida: equipamento na água e uma horinha de velejo gostoso com mais cinco persistentes amigos, até acabar a luz. Ótimo para elevar o astral. Meus amigos do Ceará devem estar se divertindo lendo isto (né Paolo, Henrique, Maurão?) ...
Autor: Leonardo Medeiros (Leo Roqueiro)
Data: 22/05/1999
Local: Lagoa de Itaipú - Camboinhas
Direção: Sudoeste
Velocidade: ??
Vela: 5.7
Prancha: Custom
Descrição: Sabadao. Dormia relaxadamente, quando de repente a minha janela tremeu. Oh-oh!! 8:30 da manhã, liguei para o orelhao da praia e os caras mal conseguiam falar no telefone "Vem maluco, vem que tá ventando para ca***!!!". Engoli meia dúzia de cream-crackers e já saí de casa de neoprene. O mar estava selvagem, forçando a galera menos radical para a lagoa. Como eu tava um tempo sem velejar, resolvi não forçar a máquina e encarei a lagoa também. Aproveitei que estava tudo desmontado e armei a velinha da minha esposa, uma 5.7, para pegar leve. ANIMAL!!! Ainda tive que parar umas duas vezes para caçar a criança, mas depois foi show de bola. Porradão de vento, constante, lagoa lisa, tudo no esquema. Um sudoca clássico. QUEREMOS CICLONE!!!!
Autor: Dudu Mazzocato
Data: 22/04/99
Local: Maui-Molokai channel
Direção: NE
Velocidade: 40 a 60 nos e 220 no olho do furacao
Vela: Naish stealth 6.0
Prancha: Island comp slalom 8'8''
Descrição: Puxa, amigos, por pouco nao estaria aqui contando sobre este velejo. Resolvi fazer um treininho e sair de Maui com lua cheia no meio da ultima tempestade. Era o ciclone Cicciolina que tinha devastado metade do Kauai uma semana antes. O Briok Dunkerbek e Jason Polasakow ja tinham saido, e la fui eu, sai do porto de Kahului e estava tudo bem, ate que o vento começou a aumentar demais, e como era noite, nao podia ver as rajadas chegando. Foi quando meu equipamento deu um TRANCO e subimos eu, prancha e vela no ar, mas nao era nada parecido com um pulo. EU SEM QUERER FUI SUGADO PELO OLHO DO FURACÃO E TUDO GIRAVA, GIRAVA. Resolvi segurar firme, nao podia dar uma de sensivel e arregar logo nessa. Foi quando surgiu a ideia de apertar o cronometro do meu relogio com a boca, e assim consegui registrar a maior permanencia do windsurf no ar. Fiquei um total de 18 minutos e 32 segundos girando desde 0 ate o topo do furacao, de 500 metros de altura. La de cima, a visao era incrivel...as luzes da cidade, os carros passando. Sem duvida minha mais louca experiencia ate hoje.
Autor: Luiz Fernando Ambrosio
Data: 26/04/99
Local: Guarujá (Enseada)
Direção: Sertão(oeste)
Velocidade: 20 a 40 nós
Vela: NR 4.5
Prancha: 247 Jason Polakow custom
Descrição: Oi amigos velejadores.A segunda-feira estava prometendo. Acordei de manha com o vento na janela e fui direto pra Imigrantes. A previao na internet estava pra 20 foot no Guaru e 40 foot em jaws. Chegando la, fiz umas pernas de course de 8.7. Mas o vento tava realmente selvagem e resolvi montar minha JP Australia desenvolviada e usada em Jaws por Polakow. Foi qdo me vi realizando manobras consideras impossiveis pela nata da ilha. Aerials off-the-lip, goiters sarados e ate um double no hands vulcan irado ja nao eram mais problemas para o Ambrosinho. De acordo com Wellington( o mais antigo sorveteiro do Guaru) nunca havia tido saltos tao altos e radicais qto os meus( triple mast high). É claro que as ondas estavam perfeitas, mandei um tubao. No proximo campeonato de ondas e free style, Ambrosio estará na area. WATCH OUT HAOLES!
Autor: Mig
Data: 20 e 21/3/99
Local: Ilhabela
Direção: Leste no sábado, Sul no domingo
Velocidade: 15 nós
Vela: Neilpryde V8 6.5
Prancha: Veloce 288 e Saxo 270
Descrição: Fim-de-semana muito bom na Ilha, com sol e ventos constantes a partir do meio-dia. Estreei vela nova, muito boa! Sábado o velejo melhor estava nas Canas, domingo ventou sul mas o sol continuou forte. Bonito velejar entre os veleiros da classe oceano, que estavam competindo no canal. Acabei fazendo uma perna da Praia do Pinto até São Sebastião, e cheguei numa prainha particular muito bonita.
Autor: Mig
Data: 21/1/99 a 25/1/99
Local: Icaraizinho de Amontada
Direção: NE
Velocidade: 18 - 25 nós
Vela: 5.6 e 6.5
Prancha: Veloce XLS 288
Descrição: O Henrique, dono da pousada Windparadise e velejador entusiasmado, me disse que não estava ventando lá, melhor cancelar a viagem. Resolvi insistir, porque já aprendi o que significa "sem vento" para os cearenses, e não deu outra: no primeiro dia realmente não ventou, mas nos outros três pude conhecer melhor esta praia: vento maral forte e constante, facílimo de orçar, e que arrasta para a praia em caso de qualquer problema. Um canto tem ondas, o outro é liso. No segundo semestre (mais vento ainda) é disputado aqui o Campeonato Cearense. Aqui também estavam velejando o Henrique, Junior e o Neils. Grandes companheiros!
Dica de viagem: se for de avião, TAM e VARIG não cobraram excesso de bagagem pela prancha e foram muito bons vôos. NUNCA vá de VASP!!!
Autor: Mig
Data: 6/1/99 a 20/1/99
Local:Lagoa da Jijoca (CE)
Direção: NE
Velocidade: de 14 a 25 nós de média
Vela: 5.6 e 6.5
Prancha: Veloce XLS 288
Descrição: Passei duas semanas aqui em julho e mais estas duas em janeiro. Fiquei na Pousada do Paolo. Só não velejei, por falta de vento, um ÚNICO dia... 27 x 1 para o vento!!! Este lugar tem um regime de ventos impressionantemente regular: de manhã venta um sudeste fraco até meio-dia. Daí o vento gira 90 graus para nordeste e começa o vento forte. Todo dia orçava uns 3km até o canto NE da lagoa, onde ficam os ventos mais fortes, com ondinhas no contravento e água lisinha a favor. Ficava ali até umas 4:30, e voltava arribando para um almoço maravilhoso. Não conheço lugar melhor para qualquer nivel de velejo slalom. Saudades dos grandes "rachas" com o Paulo, Marco e Paolo, que, rindo, ainda comenta que eu não vi nada, pois a época de ventos é de agosto a novembro... Essa lagoa faz juz ao seu outro nome: Lagoa do Paraíso!